Hoje, é muito difícil caminhar. Eu não dou passos como antigamente, passos firmes e sem medos. Aprendi a andar sozinho, a me manter no equilíbrio, mas todo e qualquer ser humano precisa de uma mão para ajudar a levantar. E ultimamente ando caindo tanto, que passo horas sentado olhando o tempo passar, porque até coragem para levantar falta. 

— Diário de um sonhador

É complicado. Quando começo a acreditar em alguém, e acendo uma velinha na ponta do coração para que possa clareá-lo, a mesma pessoa vem e sopra a pequena vela. Mais uma vez escuro. A fumaça que sobra, e que tão pouco tempo dura, é o momento mais forte da saudade. Saudade de um momento bom, e que não muito tempo durou. 

— Diário de um sonhador

Às vezes, parece que o mundo vai desabar. Não o planeta em si, mas o meu mundo, a minha vida. Há momentos em que seguro nos meus frágeis alicerces, e penso: “meu Deus! Já tá desabando!” – mas não está. É que são tantas angústias, são tantos momentos difíceis, que eu nunca sei se é o tal desabamento, ou um simples terremoto. E quando me encho em lágrimas? Procuro enxugá-las o mais rápido possível, por medo de me afogar. E quanto mais enxugo, mais chove em mim, mais enchente me preenche, e mais uma dificuldade: nadar. Nadar até achar a luz dentro de mim. Sabe o fundo do poço? Quando você tá bem lá no fundo, olha para cima e vê aquele buraquinho de luz? Pois é. E pra nadar? E pra subir? Haja fôlego e força. Eu sei, parecem tristes palavras, mas há algo maior por trás, e a Fé é uma delas. O fato é que: eu nunca desisto, por mais fraco que esteja. Mesmo que eu fique só, que ninguém ouça o eco do meu pedido de socorro no fundo do poço, não desisto. Há uma vida a ser vivida, sonhos a serem realizados, e um alguém a ser amado. 

— Diário de um sonhador / p/ Lari

(Risos)
Foi assim que comecei o dia, entre risos e sorrisos. Não aconteceu nada novo, só estranhas passagens e mudanças. Todo meio de ano é assim, a gente acaba amadurecendo em algumas coisas, e em outras não. A gente acaba abrindo os olhos para algumas pessoas, e para outras não. Confesso que esse meio de ano tem sido de olhos bem abertos e muito amadurecimento. Perdi amigos, mas ganhei lembranças; perdi amor, mas ganhei esperança; perdi ombro, mas ganhei coração.
E aí alguém há de me perguntar: e você ainda sorri? Mas é claro! Se eu fosse chorar por cada amigo que me apunhala, por cada amor que me deixa, por cada ombro que me foge, eu viveria em eternas lágrimas.

—Diário de um sonhador

Como seria olhar para o céu, sabendo que não posso voar? Como seria sentir a brisa, sabendo que não posso tocá-la? Como seria sentir o cheiro das flores, sem conhecê-las? Seria sempre encantador. A beleza de admirar vai além do tocar, voar, conhecer e sentir.

— Diário de um sonhador

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: