E parece que o tempo voa, não é mesmo? Realmente… A impressão que fica é que, há poucos dias, nós estávamos nos conhecendo. Aquele teu sorriso de menina, mas com garra de uma grande mulher. Aquela admiração por um cara que nem te dava tanta bola assim, mas que te segurou pelos braços quando pôde.

Meu amor, agradecer já não é mais a palavra certa. Amor, de fato, também não. Esse sentimento que, a cada dia, faz crescer. Essa plantinha que nós, ansiosamente, queremos que vire uma árvore e dê frutos.

Obrigado por esses 3.8 de amizade e namoro. Você, de fato, é e sempre foi a melhor amiga. Estou louco para ver todos os nossos planos sendo realizados e para ver essa barriguinha crescer e eu poder beijar e beijar e beijar. Eu sei, isso com muitos anos, mas o sonho permanece. E dizer: “quero ser o pai dos seus filhos” me deixa muito orgulhoso, porque és uma pessoa que tenho grande admiração. Desde que te conheci, que te via cuidando do avô, mesmo com todos os problemas, sempre soube que você seria uma excelente companheira. Pois, cuidar de quem amamos, de fato, é algo surpreendente e raro.

E que nós continuemos assim, cuidando um do outro para sempre. Sempre e para sempre.

Gostaria muito de estar ao teu lado, e mesmo que batido seja essa página (mais uma) em meu blog, eu quero dizer que você é a mulher dos meus sonhos e que eu só quero viver ao teu lado. Esses 8 meses não são nada, em relação ao tempo que quero estar contigo, Larissa.

Que Deus te abençoe hoje e sempre. E mil perdões por, mais uma vez, não estar ao teu lado. Eu te amo muito, meu amor!

F Z. L S.