Há um mês, uma pessoa chamada Maria me pediu uma ajuda. Falava que estava casada há 5 anos, mas seu companheiro não dizia que a amava há um tempo. Disse que fazia tanto tempo, que não lembrava mais qual havia sido a última vez. Eu até entendo o lado de Maria, quem não precisa ouvir um “eu te amo”? Mas, expliquei que ela precisava entender que amor não tem que ser dito, e sim demonstrado. Amor é prova e sentido. É amigo e companheiro. Ao pé da letra, teria que ser dito em silêncio. Em contrapartida, é preciso compreender que existe uma necessidade em cada um de nós, de ligar o que sentimos ao que ouvimos. Não gosto de interferir a vida alheia, mas a realidade é que Maria estava aparentemente certa. O rapaz não a dizia mais nada, não a tocava, não a percebia mais. Foi triste… Maria pôs um fim ao casamento. Voltou a chorar e me disse: por amor, deixei o vento levar meu sofrimento. – Deixa, Maria. O vento costuma fazer isso mesmo: leva o sofrimento embora, e deixa o destino trazer o que há de bom. Mesmo que de volta.

— Diário de um sonhador

Anúncios

Que tal dizer algo?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s