Hoje me deparei com um senhor aparentando ter uns 70 anos, que para sair da rotina passei por um “beira de estrada” para tomar água com gás, estrada de volta do trabalho. Esse senhor, completamente embriagado, me perguntou quanto o daria para que limpasse os pneus do carro. De certa forma parei no tempo ao vê-lo perguntando “quan… quant… quanto o sinhô pode dar pra que eu lave os pneu do carro?” – Não dei nada a ele. Mas o que mais me comoveu não foi o fato de vê-lo pedindo dinheiro sabendo que iria beber, e sim de vê-lo bêbado naquela idade, um dependente de álcool. Penso na mãe dele, seja onde for que ela esteja, no céu ou na terra, a dor que ela provavelmente sentiu ou sente sabendo que seu filho vive nessas condições. Eu sempre penso na mãe. Há mães que não são mães, eu sei, mas é que é triste ver.

— Diário de um sonhador

Anúncios

Que tal dizer algo?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s